NADA DE FATO ABALA

MOEDA

NADA DE FATO ABALA

por Cláudio El-Jabel

 

De fato presidenta Dilma o xingamento não lhe afeta e é horrível ouvi-lo em um evento que para a senhora é importantíssimo, porém, para o povo brasileiro mal educado pelo ensino brasileiro de péssima qualidade, pareceu simples a palavra “vai tomar no cú”, afinal é somente isso que eles conseguem aprender nas escolas, ou seja isso que de fato recebam nas mesmas.

Quem faz uso do “cú” para tal situação afirma que muitas vezes é algo dolorido, para muitos pode até ser prazeroso, fica a critério do usuário.

Na palavra figurativa que pareceu ser agressiva a princípio (acredito eu), foi utilizada para dar informação de que eles querem que sinta dor, a mesma dor que todos nós brasileiros sentimos quando percebemos que mesmo dando sua declaração de que sofreu humilhações quando em tempos de poder militar, foi considerada subversiva, presa e torturada enfim…não foi apenas a senhora, houveram milhares de outros e ainda há, mesmo afirmando-se estarmos em uma “democracia”.

A pergunta que faço apenas sem saber se terei resposta é: O que a senhora agora na posição de poder, fez para evitar as mesmas atrocidades e humilhações que passou?

Saiba a senhora que muitos que estão em presídios sendo torturados ou passando por situações iguais ou até piores que a sua, de fato são vítimas de um poder também autoritário e muitas vezes doentio, o mesmo tipo de poder que a senhora afirma ter existido no tempo militar?

Então minha presidenta e digo isso pois saiba que apesar do voto cidadão ser secreto faço questão de declara-lo aqui e publicamente que o dirigi a sua pessoa por acreditar e por ser mulher principalmente. Pensava eu em minha imaturidade sobre política que um País que fosse dirigido por uma mulher tivesse de fato mais amor para cuidar de seus filhos.

Após isso lembrei-me de outro que também foi considerado subversivo e dizia em uma de suas canções, “de que me vale ser filho da santa, melhor seria ser filho da outra…”.

Presidenta Dilma com todo o respeito que lhe devo pela sua posição política, de fato acredito que é feio o xingamento público a quem foi empossada ao poder pelo clamor popular, mas quero eu presidenta, saúde, funcionalismo público honesto e trabalhador, assistência a doenças que não são ainda reconhecidas pelo SUS, como as sociais, causadas pelo abandono do governo seja ele federal, estadual ou municipal. Comida na mesa de quem tem fome, preço justo na alimentação do trabalhador, transporte eficiente, segurança pública de verdade e não de fachada, moradia digna com espaçamento, para não tornarem-se favelas de beco, ensino de qualidade com professores treinados e segurança dentro das escolas para inibir a formação de quadrilha e manter não só a integridade física de quem leciona como de quem estuda.

Sei que é difícil, entendo bem tudo isso, mas acredito que gastou-se muito mais para um esporte em um ano que em todo seu governo para os benefícios e necessidades que a população mais pobre tanto aclama.

Logo senhora presidenta Dilma o “tomar no cú” doe, doe muito, mas muito mais em quem grita do que a quem a frase de baixo calão foi dirigida.

Se tais palavras partiram da “parte vip” é por saberem que por serem “vip”, a porrada dos cassetetes não podem atingi-los já que podem pagar por grandes nomes da OAB para defende-los.

Penso eu que: Se levar um bofetão de um imperador e for jogado aos leões e mesmo assim ter sobrevivido (como é a situação que tenta nos passar de seu passado), ao dar a volta por cima e vir a torna-me imperador, também jamais repetirei por pior motivo que seja o bofetão em um semelhante, pois saberei a dor por que passei.

Quanto ao seu passado de dor, lamento profundamente mas saiba que sou filho da dor que sobreviveu também e nem por isso fico lamentando, procuro esquecer seguir outros caminhos, sou totalmente contra a qualquer tipo de confronto, mas gosto de falar o que penso sem ofensas, mas chamando ao pé do ouvido.

Há entre nós brasileiros uma parte que prefere calar-se ao expor-se, há outra que agride, faz baderna assim como no passado os ditos “subversivos“ faziam e há também os que percebem que nada muda apenas o tempo e as cores, pois o poder quando está nas mãos de alguém que pode mudar algo sempre vem acompanhado de cicatrizes da revanche ou infestado pelo câncer que finge ter desaparecido, mas está infiltrado no organismo. Logo acredito que sua intenção para com o País é boa porém ou está ressentida por alguma revanche ou seu governo está infestado pelo câncer disfarçado e minando o organismo.

Olhe pelo nosso País como mulher e mãe e não como estadista ou partidária pois bandeiras se queimam partidos se mudam, mas pessoas ficam marcadas para sempre.

Aproveite e reflita também nesses versos:

http://kambami.wordpress.com/2013/08/17/carta-ao-governador/

http://kambami.wordpress.com/2013/06/22/quando-morreu-a-patria-amada/

http://kambami.wordpress.com/2013/06/18/falsa-ilusao/

Quer mais presidenta? Peça, assunto é o que não falta.

Abraços sinceros e sucesso!

 

Anúncios

Sobre KAMBAMI

Uma metamorfose humana do conhecer e aprender. Simples porém exigente. Bem sobre o autor desse blog, me parece ser um cara legal, gosta de conversar, dar pitacos aqui e acolá. Procuro ser o mais sincero que a vida me permite, adoro amizades, sou tímido acreditem também uma metamorfose ambulante como diria Raul. Adoro cozinhar, mas na escrita sou mesmo comilão, como acento, concordância verbal, minha gramática de fato anda bem mal, mas sou um cara legal. Tenho muito gosto em escrever o que me vem à mente ou o que me chega aos ouvidos e visão, sou um observador nato desde minha aparição. Aqui é um palco de teatro não se engane há muito de quem escreve e muito de fantasia, mas não há bilheteria, então sinta-se a vontade, puxe sua cadeira e sente, estou quase sempre presente, me enrolo muitas vezes nessa de seguir quem me segue, me perco nesse mundo danado de internet. Não sou esnobe, sou pessoa bem simples, gosto da natureza, da boa mesa, do bom papo, não tenho hora, não uso relógio para controlar meu tempo, a muito me deixei ser levado ao vento, ora furioso que me derruba e machuca, ora bondoso que me embala em doçura. Chamo-me Cláudio El-Jabel, também podem me chamar de Kambami ou Kael, adoro distribuir carinho sem intenção outra que não seja da amizade ser bela, ser amiga, ser sincera, entendo que nossa vida é algo muito rápido e nem sempre dá tempo de nos conhecermos melhor, mas essa é minha apresentação, muito prazer, eu não esqueço vocês, já os tenho em meu coração, sejam bem vindo então.
Esse post foi publicado em TEXTOS. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s